Notícias

Mandamentos da segurança em condomínios residenciais

Tome alguns cuidados para evitar assaltos em condomínios

Exemplos clássicos dos contos de fadas nos mostram como pode ser perigoso se deixar guiar pelas aparências. Na história da Branca de Neve, a madrasta se disfarça de velhinha para entregar a maçã envenenada para a princesa. Já no conto da Chapeuzinho Vermelho, o Lobo se disfarça de vovó para ganhar a confiança da menina. Isso mostra que aquele velho conselho de não confiar em desconhecidos, mesmo que pareçam inofensivos, deve ser seguido sempre à risca, principalmente quando se trata da segurança de condomínios residenciais.

Como uma das prioridades de quem opta por morar em condomínios é a segurança, em uma época repleta de “lobos maus”, todo o cuidado é necessário. Isso porque bandidos utilizam disfarces como fardas militares ou uniformes de empresas prestadoras de serviços para acessar condomínios e promover assaltos. Para evitar situações de risco, além de utilizar sistemas de controle de acesso, é necessário manter procedimentos rigorosos para controlar quem entra e sai do empreendimento e manter o local seguro.

O primeiro passo para tornar a segurança no condomínio eficaz é manter a equipe de porteiros bem treinada e atualizada sobre procedimentos de segurança e sobre o uso correto dos sistemas de controle de acesso. Mesmo com a existência de câmeras e cadastros para quem entra no condomínio, o porteiro precisa ficar atento. É necessário exigir identificação, checar a visita com o morador via interfone ou até mesmo checar a identidade desse prestador de serviço com a empresa que ele pertença.

Além disso, há casos de indivíduos que chegam trajados com roupas de policial militar ou federal – às vezes com carros adesivados imitando viaturas policiais – e exigem entrar no condomínio. Mesmo nesses casos, o porteiro deve manter a calma e não permitir a entrada do suposto policial. Vale lembrar que a polícia não pode invadir o condomínio sem um mandato de busca e apreensão, por exemplo. Para evitar essas situações, a administração do condomínio deve manter um relacionamento com a polícia militar e participar de ações, como o projeto vizinhança solidária, da PM do estado de São Paulo, que incentiva a vizinhança a adotar medidas capazes de prevenir delitos e colaborar com o policiamento.

Segurança em condomínios é prioridade

Para minimizar as ocasiões de risco, separamos cinco dicas para evitar a entrada de bandidos disfarçados e manter seu condomínio em segurança. Confira:

Solicitação de serviços: o morador que contratar serviços de instalação ou manutenção para telefonia fixa, internet, TV por assinatura ou obras na residência deve comunicar por escrito à administração a data e o horário da visita do profissional. O porteiro deve receber uma notificação da visita, mas, mesmo assim, fazer cadastro e solicitar a autorização do morador.

Recebendo entregas: quando o condomínio não possui sistema de controle de acesso, é recomendado que o morador que solicitou o serviço de entregas de refeições, por exemplo, se desloque até a portaria no momento de receber a encomenda para evitar que o desconhecido transite sem acompanhamento pelo condomínio. Quando há o sistema, o morador deve avisar o porteiro sobre a entrega e este deve cadastrar o entregador na plataforma de segurança.

Monitoramento por vídeo: o sistema de vídeo deve estar sempre ativo e contar com uma equipe de monitoramento. No caso da entrada de entregadores, essa equipe irá acompanhar o trajeto do entregador e alertar para desvios no caminho. Além disso, o material de vídeo pode ser usado na investigação de alguma ocorrência.

Atenção sempre:  o porteiro deve ter muita atenção com todos que se aproximam da portaria. Absolutamente, nenhuma pessoa pode entrar no condomínio sem a autorização do morador – mesmo que seja apenas para usar o telefone da portaria ou para pedir informações.

Desconfie de tudo: se o porteiro ficar com alguma dúvida sobre a identificação do prestador de serviços, é recomendado entrar em contato com a empresa que enviou o funcionário. Uma dica importante nesses casos é não ligar para o número informado no crachá, mas pesquisar o número de telefone na internet ou na lista telefônica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *